5 Etapas para ir de férias sem stress


Não há como negar, os Advogados trabalham longas horas em ambientes altamente stressantes e competitivos, com volumes de trabalho exigentes.



A verdade é que o gozo de férias beneficia os Advogados de várias formas, designadamente, reduzindo os níveis de stress e melhorando a sua saúde física e mental.


Porém, em muitos casos, esta altura do ano coloca alguns desafios. Os Advogados que actuam em prática individual, debatem-se com a ausência de apoio no momento de largar o escritório por uns dias. Muitos Colegas inseridos em estruturas societárias sentem-se reticentes em tirar férias, seja porque querem mostrar aos Sócios do escritório ou aos Coordenadores do seu departamento que estão sempre disponíveis e dispostos a trabalhar 24 horas por dia, seja porque (ainda) acreditam que os clientes não sobrevivem sem o seu apoio pessoal... Independentemente do motivo, tirar férias é, em muitos casos, mais um motivo de stress!


Por isso, a grande questão é: como podem os Advogados gozar férias sem stress enquanto cuidam dos clientes e garantem que os seus escritórios continuam a funcionar na sua ausência?

Terá de tomar decisões e dar os passos certos para os merecidos dias de descanso sem prejudicar o seu escritório ou o relacionamento com os seus clientes. Como sempre, o equilíbrio é a chave. Neste artigo, vamos partilhar as 5 etapas que pode seguir para ir de férias descansado(a):


1. Faça a gestão do escritório de qualquer lugar


Graças à automação, já não precisa colocar o escritório em pausa quando está fora. Isto significa que pode manter a sua prática mesmo quando estiver a descansar à beira-mar. Os softwares jurídicos disponíveis permitem trabalho remoto e oferecem a flexibilidade de permanecer conectado em qualquer lugar com bom acesso à internet.


2. Decida o quão conectado(a) deseja estar


Caso seja impossível desconectar-se por completo, é importante definir, claramente – para si, para quem o(a) acompanha em férias e para quem fica a assegurar a sua ausência do escritório –, qual o horário que dedicará a responder a urgências, ler e-mails, etc. Idealmente, este tempo não deverá exceder 1 hora diária. Não resista já, 1 hora é imenso tempo!

Mais uma vez, se advoga em prática individual, desconectar-se completamente do escritório será um desafio acrescido. Ainda assim, esforce-se por não misturar diversão e lazer com trabalho e por definir – cumprindo com rigor – o tempo que decidir estar ON. Neste caso, não tendo alguém para assegurar a sua ausência e mantendo algum volume de trabalho (designadamente, em processos de natureza urgente), talvez a melhor solução seja dedicar, por exemplo, 1 dia inteiro ou 2 tardes/manhãs por semana para assegurar o trabalho que necessita ser realizado, disciplinando-se para as cumprir, bem como para, nos restantes dias, divertir-se e relaxar.

Num e noutro casos, evite mexer no telemóvel a toda a hora, espreitar os e-mails enquanto aguarda as refeições, todo o tipo de comportamentos que o(a) conduzam a mais uma notificação que lhe possa causar ansiedade. Seja disciplinado(a) e cumpra os horários que melhor funcionem para si e para a sua dinâmica familiar (se for o caso).


3. Comunique as suas férias de forma clara


Quer opte por se desligar mais ou menos durante as férias, recomendamos que avise, com antecedência, a sua equipa, clientes, parceiros e até tribunais que vai de férias.

Informe os seus staff de apoio, equipa e clientes caso decida estar disponível em determinados dias ou horários, ou se deseja ser contactado apenas em caso de emergência.

Uma comunicação clara definirá as expectativas de todos os lados, reduzindo o stress antes, durante e depois das férias.


4. Certifique-se que tem um “plano de sucessão”


Parece óbvio, mas nem sempre é assim tão claro quem faz exactamente o quê na sua ausência. Por isso, um “plano de sucessão” ajudará a clarificar quem fica responsável pelas diversas pastas/processos/clientes que costuma assegurar no escritório, bem como garantir que os seus clientes continuam a ser bem atendidos e acompanhados. Se está inserido numa estrutura que permite esta delegação, use-a. Afinal, é muito provável que tenha de fazer o mesmo pelos seus Colegas nas férias destes.


5. Prepare a sua caixa de entrada


Defina uma resposta de ausência temporária, descrevendo o quão conectado(a) e contactável está e, se for caso disso, a identificação e contacto do(s) Colega(s) que assegura(m) os seus clientes na sua ausência.

Além disso, use filtros de e-mail para organizar as mensagens recebidas para que possa lê-las mais rapidamente. Por exemplo, pode separar e-mails de clientes importantes e membros da equipa de newsletters e boletins informativos. Se possível, aproveite para cancelar a assinatura de boletins informativos e subscrições desnecessárias por forma a manter a caixa de entrada do seu e-mail o mais limpa possível.



Embora tirar férias na Advocacia possa parecer um desafio, com a preparação certa verá que conseguirá o tão ambicionado descanso.

A vida é curta e o tempo que realmente dedicamos a aproveitá-la ao máximo é ainda mais curto. Por isso, não se penitencie. Organize-se e vá de férias! É desta pausa que sairá mais disponível e produtivo(a) para abraçar os desafios do próximo semestre.


Vamos juntos, rumo a uma Advocacia de sucesso!