Checklist de Formação para Sociedades de Advogados

A Formação é uma componente essencial para a Advocacia de sucesso. Deve, por isso, ser, igualmente, uma preocupação para as sociedades de Advogados, independentemente da sua dimensão.



Por esse motivo, quer seja Managing Partner ou Director de Recursos Humanos de uma sociedade de Advogados, importa avaliar se está a ministrar às suas equipas a formação que elas necessitam.


São 10 os elementos necessários para um Plano de Formação altamente eficaz. Vejamos:



1. Entregar o conteúdo no momento certo

Intuitivamente, sabemos que o melhor momento para aprender uma habilidade é quando precisamos dela. Por exemplo, não faz sentido trabalhar comunicação em audiência se não vamos a Tribunal. Aprender uma competência ou habilidade oportunamente significa precisar dela, poder usá-la logo que termina a formação e, idealmente, aplicar o conhecimento, repetidamente, para melhor o reter.


2. Ser 100% relevante para o Advogado

Pode identificar-se a necessidade formativa dos Associados na obtenção de conhecimentos sobre, por exemplo, relação com o cliente. Porém, um Associado de 1.º ano e outro de 3.º ano, pese embora precisem trabalhar esta competência, sentirão necessidades diferentes e precisam, por isso, de treino diferenciado.


3. Optimizar a retenção dos conteúdos

A maneira mais conhecida para neutralizar o fenómeno – segundo o qual 75% do conhecimento é esquecido dentro de 6 dias, se não for usado – é alargar o treino, incluindo eventuais avaliações ou exercícios, em intervalos gradualmente crescentes, por exemplo, 2, depois 4 e depois 8 dias. Assim, consegue-se, aproximadamente, 80% de retenção por parte dos trainees após 60 dias.


4. Uma abordagem centrada no Advogado

«CFO: O que acontece se os formarmos e eles se forem embora?

CEO: O que acontece se não o fizermos e eles ficarem?»

A falta de formação adequada dos seus Advogados, a ausência de investimento neles, pode, sim, levá-los a sair. E, mesmo que ninguém saia, se não investir nas suas equipas, corre o risco de que prestem o seu trabalho de forma ineficaz ou ineficiente, prejudicando a imagem e os resultados financeiros da sociedade.


5. Um ambiente de formação colaborativo

A formação destinada a ser recebida passivamente não é suficiente. Também não precisa ser um parque de diversões. Deve, sim, prender o interesse dos Advogados e abordar as suas preocupações e dificuldades.

Os Advogados podem sentir-se envergonhados ou tímidos para fazer perguntas. Alguns aprenderão visualmente, outros serão mais auditivos e outros, ainda, mais práticos. Por isso, uma formação bem-sucedida requer materiais em vários formatos.


6. Linguagem e conteúdo especializados

O formador deve falar com os trainees ao seu nível, deve compreender as suas necessidades e a linguagem por eles usada. Deve estar familiarizado com o ambiente de trabalho de trainees e as suas responsabilidades profissionais. O formador deve ser um parceiro de confiança, e não mais duas horas obrigatórias de presença.


7. Formação passo a passo para os que chegam à sociedade

A formação mais comum nas sociedades de Advogados ocorre nos primeiros dias de trabalho. É feito acompanhamento sobre os registos de tempo, sistemas operativos, software diverso, consulta dos arquivos, utilização da biblioteca, etc.

No entanto, a formação ao mais alto nível para os novos Advogados da sociedade não deve centrar-se num monte de habilidades de tecnologia. A formação para as “novas contratações” deverá, idealmente, ocorrer ao longo de vários dias ou, até, semanas, explicando-se, passo a passo, o que delas se espera, que competências devem dominar e qual o seu papel na sociedade.


8. Reforço contínuo

Como acima se referiu, os trainees tendem a esquecer 75% do material novo em 6 dias, caso este não seja utilizado ou colocado em prática. A boa formação deve antecipar este facto, designadamente, incorporando exercícios para o período pós-formação. Deve, igualmente, referir-se a importância do reforço de competências com alguma regularidade, não só para cimentar o conhecimento já adquirido, como para o desenvolver e exponenciar.


9. Uma cultura de aprendizagem e crescimento

A cultura de uma sociedade de Advogados, os seus valores, o seu ADN não é algo que, apenas, se escreve. É, antes, um comportamento sistemático e consistente, consciente e intencional. É o que se faz ao longo do tempo, o que se faz diariamente.

Por isso, também uma cultura de desenvolvimento contínuo se cria. E se decidir criá-la agora, terá um retorno exponencial. Assinale a importância da formação reservando tempo para se treinar a si primeiro. Se a formação for um evento regular e, em especial, se os líderes da sociedade fizerem questão de participar e se envolver, mesmo quando o conteúdo não seja especialmente relevante para eles, enviam uma mensagem a todos os Advogados sobre o valor da aprendizagem contínua para a sociedade.


10. Os formadores certos

Um formador retirado, por algumas horas, das suas responsabilidades internas para formar colegas de trabalho tem algumas desvantagens. Se alguém sabe ou pode aprender algo, não significa, necessariamente, que possa instruir outros de forma eficaz. Por outro lado, no caso das sociedades de Advogados, se o formador for alguém cujo tempo deveria ser dedicado ao trabalho do cliente, a sua produtividade e o trabalho facturável irão sofrer, uma vez que é muito improvável que seja dispensado das responsabilidades com o cliente quando as tarefas de formação lhes forem acrescentadas.

Formadores externos com experiência jurídica mitigam estes problemas. Eles sabem como funcionam as sociedades de Advogados. O seu trabalho é formar, também eles foram formados para ensinar. Bons formadores externos podem conversar com os trainees sobre os seus desafios, porque os compreendem, compreendem a sua linguagem e a sua realidade; e, com o objectivo final em mente, movem os trainees de um estádio para o estádio seguinte, apoiam-nos nas soluções e criam uma experiência contínua que torna a tarefa de aprendizagem mais simples.



Fale connosco para desenhar as acções de formação necessárias à sua equipa, para identificar essas necessidades ou para desenhar o plano anual de formação.

Os nossos serviços garantem a entrega de cursos personalizados, concebidos, exclusivamente, para a sua realidade e tendo em conta a identidade da sua sociedade.


Vamos juntos, rumo a uma Advocacia de sucesso!