Desenvolver resiliência na Advocacia

A definição de resiliência no dicionário é a capacidade de superação, de recuperação das adversidades. Por seu turno, resiliência, aplicada à Advocacia, é a capacidade de suportar contratempos, persistir, resistir numa profissão difícil e tão desafiante.



Desde o ano passado, temos – mesmo os resilientes – sido desafiados com o COVID-19. Temos de lidar com rotinas interrompidas, bloqueios, calendários judiciais estagnados e reaprender a prática do Direito.

A grande questão é saber se somos flexíveis e resilientes o suficiente para, não só ultrapassar estas adversidades, como aproveitar as novas oportunidades que estão a surgir.


Desde logo, uma boa notícia: a resiliência treina-se. É como um músculo, é preciso nutrir e usar para ser saudável. Por isso, com foco e prática, qualquer Advogado pode melhorar as suas skills de resiliência.

Eis algumas sugestões sobre como o fazer:


1. Foque-se no trabalho de equipa

Atletas de elite contam com treinadores, coaches, conselheiros, amigos e familiares para se destacarem. Os Advogados devem fazer o mesmo. Resiliência é um esforço de grupo.


2. Concentre-se no positivo

Não, não é discurso motivacional de pensamento positivo. É uma questão de foco. Em vez de se concentrar no que pode correr mal, escolha concentrar-se no que corre bem. No coaching transformacional, com a ajuda da programação neurolinguística, os Advogados mudam os seus pensamentos e isso transforma as suas vidas.


3. Lembre-se do seu propósito

A base altruísta do Direito é ajudar as pessoas. Se pensar bem, a questão da recompensa financeira veio mais tarde; o seu propósito ao escolher a Faculdade de Direito foi o de servir a Justiça. Por isso, quando estiver com dificuldades, pense no que o/a trouxe a esta profissão.


4. Não esqueça o seu bem-estar

Pense em bem-estar como equilíbrio. A resiliência requer uma base sólida de equilíbrio físico, emocional, mental e espiritual. Para isso, alimente a alma: ouvir apenas os problemas dos seus clientes, dia após dia, é uma dieta pobre; ouça música, assista a um filme estimulante, faça exercício, jogue xadrez, medite… Tenha actividades satisfatórias fora da Advocacia.


5. Alegre-se com a profissão que escolheu

A maioria dos Advogados não caracteriza a prática do Direito como divertida. E uma das primeiras coisas a desaparecer quando se está sob stress e ansiedade é a diversão. Divirta-se com o que faz diariamente, há tantos anos.


6. Assuma a responsabilidade

Neste momento, questionamos se algum dia encontraremos um “novo normal”. Ora, nós Advogados devemos lembrar-nos que somos inteligentes, treinados, treináveis e criativos! Não importa o quão stressados nos possamos sentir, as nossas capacidades de realização são inegáveis. Usemos os mesmos talentos e inteligência que nos trouxeram aqui para desenvolver resiliência. E assumamos a responsabilidade pelo nosso crescimento.


Seguimos juntos, rumo a uma Advocacia de sucesso!