Novas competências dos Advogados para a próxima década

Quais são as habilidades exigidas aos Advogados na década de 2020? Esta é uma questão premente que é - ou deveria ser - o centro das atenções para a profissão e para todo o sector neste momento.



Vamos directos ao assunto, sem rodeios: o que está, aqui, em causa é conhecimento, é a necessidade de os profissionais do sector de Legal, mormente os Advogados, aumentarem as suas competências e habilidades.

Durante a próxima década, o conhecimento jurídico, sem deixar de ter extrema importância, tornar-se-á (concorde-se ou não) numa das várias competências necessárias a um Advogado.


A verdade é que o exercício da Advocacia está, crescentemente, orientado para o cliente e a prestação de serviços jurídicos está a expandir a sua área de actuação, designadamente, pela necessidade do cliente de análise de risco multidisciplinar ou a exigência de uma melhor comunicação, as quais exigem outras habilidades e competências profissionais.


A prática jurídica tout court é, agora, uma prestação de serviços jurídicos. Exercer Advocacia envolverá, nos próximos anos, diferentes habilidades e capacidades. E atenção, as Faculdades de Direito, geralmente, muito pouco permeáveis a estas mudanças, ou as próprias sociedades de Advogados, terão de se adaptar, sem perder identidade, claro; caso contrário, estarão a preparar os seus alunos/profissionais para carreiras que estão a desaparecer tal como as conhecemos.


O conhecimento jurídico passará a ser o ponto de partida, o conhecimento básico exigido a um Advogado. Para além deste, exigir-se-á todo um conjunto complementar de habilidades, onde se incluem, por exemplo: análise de dados, gestão de projectos, colaboração, inteligência emocional, empatia, resiliência, capacidade de comunicação eficaz, influência, entre outras. Os Advogados não precisarão tornar-se especialistas em cada uma dessas áreas, mas devem ter um conhecimento, pelo menos, básico das mesmas.

Os Advogados mais bem-sucedidos da próxima década serão os seres humanos empáticos, influentes e carismáticos com treino jurídico.


A década de 2020 não será o fim da Advocacia, como é óbvio, mas o início de uma nova e entusiasmante Era em que o sector Jurídico terá de se reinventar, sob esta nova realidade digital e, estou certa, dela sairá em grande estilo.


Vamos juntos, rumo a uma Advocacia de sucesso!